Petróleo sobe mais de 2% nos EUA e atinge máxima em 15 meses
Barril subiu 2,6% nos EUA, a US$ 51,60, maior valor desde 14 de julho. Petróleo Brent fechou em alta de 1,9%, a US$ 52,67.


Os preços do petróleo subiram mais de 2% nesta quarta-feira, com o barril dos Estados Unidos tocando uma máxima de 15 meses após o governo reportar uma queda inesperada nos estoques pela sexta semana em sete.



A Administração de Informações de Energia (AIE) dos EUA informou que os estoques de petróleo caíram 5,2 milhões de barris na semana encerrada em 14 de outubro. Analistas  ouvidos em pesquisa da Reuters esperavam que o AIE iria reportar um crescimento de 2,7 milhões de barris nos estoques.



É comum que os estoques de petróleo cresçam nesta época do ano, uma vez que refinarias entram em manutenção, produzindo menos gasolina e outros produtos. As operações das refinarias estavam em somente 88 por cento da capacidade na última semana, disse o AIE.



O primeiro contrato do petróleo dos EUA para novembro fechou em alta de 1,31 dólar, ou 2,6%, a US$ 51,60 por barril, em seu mais alto fechamento desde 14 de julho. Na máxima da sessão, de US$ 51,93, a commodity atingiu um pico de 15 meses.



Mas com seu vencimento na quinta-feira, o contrato para novembro teve menos negociações do que o contrato do WTI para dezembro, que tocou uma máxima desde junho a 52,22 dólares. O contrato de dezembro se torna o primeiro a partir de sexta-feira.



O petróleo Brent, o contrato de referência mundia para o petróleo, fechou em alta de 0,99 dólar, ou 1,9%, a US$ 52,67.